Gelato Natural e Artesanal: o que significa?

Já falamos muito por aqui sobre o que é um Gelato, sobre o que é um sorvete artesanal, e sobre como a indústria em geral aceita usa esses termos como estratégia de marketing. Mas há sempre ângulos para abordamos.

Entende-se artesanal como algo feito pelas mãos de um artesão, correto? Mas levar essa definição à risca seria um exagero. No caso do sorvete, e de muitos produtos alimentícios, há sempre uma máquina envolvida. O sorvete mais artesanal do mundo, hoje é feito com uma máquina de sorvete cuja função é refrigerar e misturar os ingredientes incorporando ar ao mesmo tempo, correto? Então vemos, na produção do alimento, a distinção entre industrial e artesanal como algo que qualifica todo o processo.

O processo artesanal do sorvete inclui a escolha de ingredientes, o tratamento deles, até o modo em que eles serão enfim colocados na máquina. Um processo muito mais delicado, custoso e demorado que um processo automatizado. Mas claramente é muito difícil de precisar o que é artesanal, pois esses processos caem em um contínuo.

Essa indefinição não é um problema. O problema é o que a imagem da palavra “artesanal” traz. Pelas características do processo predominantemente (vamos assim dizer) artesanal, associamos a ele a escolha de ingredientes puros e artesanais, o que de fato ocorre, mas não em todas as vezes. Há quem faça um sorvete praticamente à mão, mas use aditivos químicos, e ao se intitular “artesanal” passará a imagem errada de um produto mais saudável e natural.

Ao invés de discutir as posições metalinguísticas do sorvete, o melhor, como em todo cenário de questões alimentícias, é buscar saber no detalhe os ingredientes usados e os processos feitos. Contra a lista de ingredientes, afinal, não há argumentos.

Imagem de capa: autor desconhecido

Deixe uma resposta